Veja ao vivo no Parque do Povo! Clic link no vídeo

domingo, 23 de janeiro de 2011

Aperto de mão arrochado

(dance)De vez em quando um sujeito
Me dando um aperto de mão
Aperta tão acochado
Que chega dói os tendão
Não sei se é prazer em me ver
Ou torturar-me, patrão.

 
Não bastasse arrochar a mão
Ainda demora em largar
Parece esticar o gozo
Ouvindo os dedo estalar
E rindo no canto da boca
Espera então eu peidar.

 
Mas pior que a dor do aperto
É o recado que ele quer dar
Mostrando força ou poder
Pensa então me intimidar
E se quebrar minha mão
Vão vê-lo desmunhecar.


Conta-nos o poeta Francisco das Chagas Batista no seu já clássico livro 'Cantadores e Poetas Populares' (Ed. Universitária - UFPB, 1997, João Pessoa/PB), que, certa vez, o cantador repentista Ugolino Nunes da Costa chegou, inesperadamente, no lugar Barra Lisa, e hospedou-se em casa de seu amigo Pirangi. Morava ali o cantador Elesbão da Cunha Machado. Este, ao saber que Ugolino estava na terra, foi ao seu encontro e, ao apertar-lhe a mão, fez-lhe a seguinte pergunta: 'Onde mora, e o que veio fazer aqui?' Ugolino, ainda segurando-lhe a mão, respondeu-lhe com o seguinte improviso:

No sertão do Sabugi
É a minha residência,
Porém quis a Providência
Que eu hoje viesse aqui,
Na casa de Pirangi,
Meu amigo dedicado;
E, uma vez que sou chegado,
Hoje aqui na Barra Lisa,
Eu venho dar uma pisa
Em Elesbão Cunha Machado... 

Nenhum comentário: